mamaeSossego é uma palavra que não existe para a mulher que tem filhos e trabalha fora de casa. Os compromissos pessoais e profissionais são muitos e nenhum pode ser deixado em segundo plano. Mas a vida dessa mulher também não precisa ser traduzida em loucura total. Como?

“Revendo o modelo antigo de maternidade”, defende Maria Tereza Maldonado, psicóloga e autora de livros, entre os quais Comunicação Entre Pais e Filhos e Cá Entre Nós na Intimidade das Famílias, ambos pela Integrare Editora. Segundo a especialista, desde que a mulher ingressou no mercado de trabalho, ela se tornou também uma provedora, deixando de ser apenas uma gerenciadora da casa e dos filhos.

Essa transformação exige, para começar, que o homem também assuma o papel de gerenciador, assim como os filhos. Esse é o primeiro passo a mãe trabalhadora que deve tomar para conseguir dar conta de tudo. “A mulher que se queixa de estar sobrecarregada normalmente é a que centraliza todas as obrigações. Ela sai para trabalhar, cozinha, cuida dos filhos, leva para a escola, confere o dever de casa, enquanto as outras pessoas da casa ficam na folga. Esse modelo de organização familiar é insustentável”, acredita Maldonado.

Juliana Sampaio, autora, junto com Laura Guimarães, do blog Mothern, que já virou livro e inspirou uma série de TV a cabo, acredita que a inserção das mulheres no mercado de trabalho já é uma realidade tão consolidada que nem faz mais sentido falar em conciliação de papéis. E também defende uma divisão de tarefas dentro de casa, afinal, “o cuidado com as crianças não é e não deve ser uma obrigação só da mãe. É preciso aprender a cobrar isso das outras partes, como o pai, os outros familiares, a escola, o governo”.

A seguir, outras dicas vão ajudar você, mãe-profissional, a se organizar de tal maneira que consiga dar conta, sem estresse, de todos os seus compromissos.

1. Descentralize as responsabilidades:

O lema é “se a casa é de todos, todos devem participar”. Isso mesmo! Já foi o tempo em que a mulher cuidava de tudo sozinha. Agora, com a mulher com força total no mercado de trabalho, o homem e os filhos devem fazer a sua parte. E nada de vir com aquele papo de que o marido dá uma ajudinha. “O homem precisa ser corresponsável”, esclarece a psicóloga Maria Tereza Maldonado. Juliana Sampaio, que está lançando o Diário Mothern da Gravidez, pela editora Matrix, concorda. “As crianças fazem parte de uma família e de uma sociedade. Por isso, o cuidado com elas não é e não deve ser uma obrigação só da mãe. É preciso aprender a cobrar isso das outras partes, como o pai, os outros familiares, a escola, o governo”, aconselha.

2 . Faça uma revisão da rotina da família:

Agenda lotada faz parte do ritmo da vida moderna, ao qual acabamos tendo de nos adaptar. Uma boa solução para isso é cada família revisar o seu cotidiano, de forma que todas as pessoas da casa dêem conta de seus afazeres e mantenham uma boa convivência. Como podemos aproveitar o tempo que passamos juntos? Como podemos conviver da melhor forma possível com o tempo de que dispomos? E essas respostas não podem ser determinadas apenas pela mulher. “É importante que todas as pessoas da família possam ter boas ideias para atingir tais objetivos”, sugere Maldonado.

Converse com marido e filhos e façam combinações interessantes para todos, sempre visando tirar o máximo proveito dos momentos em que estão juntos. Família reunida toda noite para o jantar? Televisão somente na sala? Computador na área comum da casa? As decisões devem combinar com o estilo de cada família, mas é interessante pensar sobre elas.

3. Use mais a internet:

Se a Internet facilita tantas tarefas, por que não pode facilitar a vida da mãe trabalhadora? Pois pode, e deve! Pais e filhos podem se comunicar por e-mail e por programas de mensagens instantâneas ao longo do dia, a fim de manterem um diálogo constante e elevarem a qualidade da relação. “A mulher que dispõe de Internet no ambiente de trabalho pode aproveitar a ferramenta para monitorar o filho, instruí-lo, tirar dúvidas da lição de casa. É uma forma de estar presente”, acredita Maria Tereza Maldonado.

4. Tenha um bom acordo com a empresa:

Não adianta negar. A mulher que tem filho, mesmo dividindo responsabilidades com o marido, vez ou outra terá de se ausentar do trabalho por algumas horinhas para ir às reuniões de pais, a alguma apresentação do filho, ou ainda no caso de alguma doença ou outro problema. Faz parte da vida de qualquer pessoa e muitas empresas estão conscientes disso. O importante é você se certificar de que este é o perfil de sua empresa. Há flexibilidade de horários? É possível compensar o horário ao longo da semana caso você precise chegar um dia mais tarde? “Felizmente, muitas empresas estão mais preocupadas com a boa qualidade de vida familiar de seus colaboradores”, comenta Maldonado.

5 .Faça do prazer pelo estudo uma realidade da casa

Isso vai ajudá-la a ter de cobrar menos dos seus filhos que ele estude, faça as tarefas, ou seja, você vai poder ficar menos na cola dele e vai usar esse tempo para outras coisas. “Se a criança crescer em um ambiente onde o prazer pela leitura, pelo perguntar e pesquisar é constante, provavelmente não vai precisar de um adulto no pé para fazer as tarefas da escola”, comenta Juliana Sampaio. Procure mostrar como descobrir coisas novas sobre o mundo que nos cerca é acima de tudo prazeroso e enriquecedor. Isso se faz no dia a dia, nas situações mais corriqueiras, e também por meio de exemplos.

Gostaram das dicas mamães?

Semana que vem postaremos o restante 😉

Fonte: http://educarparacrescer.abril.com.br/